cinema

Ditadura no cinema

Desde que se instalou a ditadura militar, a cultura brasileira foi golpeada por um retrocesso. E não foi diferente com o cinema.

Os acontecimentos positivos que o cinema conquistou nos anos 50 seriam destruídos pelo autoritarismo militar. O cinema e seus representantes buscavam interpretar algo que fosse nosso retrato, o que não tinha nada a ver com o que se exportava dos cinemas da Europa. Nascia, então, o Cinema Novo. Essa nova visão queria mostrar o povo brasileiro, seu dia a dia, sua realidade.

Os artistas e diretores dessa nova linha, como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, sentiram o golpe de perto, já que não poderiam mais retratar o que de fato acontecia no cotidiano brasileiro. Com a ditadura cresceu o fortalecimento da censura que enfraqueceria, e muito, os movimentos culturais que retratavam a identidade nacional.

” El Justiceiro”, de 1967 do diretor Nelson Pereira dos Santos, é um dos filmes que passou pela censura sendo julgado como impróprio para menores de 18 anos por conter frases e cenas de baixo calão e propagandas anti-revolucionárias.

Se nossos movimentos culturais não tivessem sido tão fortemente censurados pela ditadura militar, teríamos um ótimo campo para o seu desenvolvimento ao invés de exportarmos tantas coisas de outros países.

Até a próxima sessão pessoal.

Fernanda Camargo – estudante de jornalismo da UNIARA – fer_camargo_18@hotmail.com