50 anos do golpe

Amanha será Outro Dia

“Apesar de você amanhã há de ser outro dia”. Era isso que, Chico Buarque, um dos mais influente artista Brasileiro entoava durante a ditadura militar. Grande Influencia musical da época e portanto uma das mais belas vozes já ouvidas no Brasil esbanjava poesia e encantava os ouvintes que ate hoje o adoram.

Assim como muitos artistas, o cantor deixou um acervo gigantesco de belas obras em oposição ao regime militar, dentre elas destacamos, “Apesar de Você”, musica que fala de  forma ampla sobre a proibição e censuras do governo, do sofrimento dos brasileiros, e que mostra que apesar de tudo o Brasil ainda poderia ser um bom lugar para se viver no futuro.

♫OuçaComABruna    ♫AperteOPlay     ♫Faixa2

Amanhã vai ser outro dia

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.

Apesar de você
amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa.
Apesar de você

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá…….

Espero que tenham gostado. Nos encontramos na próxima faixa

♫Beijinhos

Bruna Joiozo, estudante de jornalismo da UNIARA – brunajoiozo@hotmail.com

Som de Encorajamento

Quem nunca ouviu a expressão: “ QUEM SABE  FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER”?

A maioria de nós não é mesmo?!

Pois bem, o que poucas pessoas sabem, é que essa frase tão usada como motivação nas nossas vidas é um trecho da Musica: Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores, de Geraldo Vandré, Cantor e compositor, que inspirou os jovens brasileiros da década de 70. Nesse período o Brasil se encontrava em plena ditadura militar, e a liberdade de expressão era inexistente. Todas as coisas eram censuradas pelo governo, e com a musica não foi diferente.
Podemos considerar que a ditadura foi um período negro para musica, onde se expressar é o essencial para que, o que se ouve seja bom, o que era proibido na época.  Porem isso não abalou nossos artistas musicais, o que encontramos desse período, são riquíssimas melodias poéticas, que ganharam um enorme peso na luta contra o regime militar.
E foi ao som dessa canção que milhares de pessoas, encontraram forças para dizer não a Ditadura.

♫OuçaComABruna   ♫AperteOPlay    ♫Faixa1

Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores
Geraldo Vandré

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição
De morrer pela pátria
E viver sem razão

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer.

♫ Espero que tenham gostado. Nos encontramos na próxima faixa.

♫Beijinhos♪

Bruna Joiozo, estudante de jornalismo da UNIARA – brunajoiozo@hotmail.com